Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > » Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

Publicado: Segunda, 13 de Março de 2017, 17h22 | Última atualização em Terça, 09 de Janeiro de 2018, 16h22 | Acessos: 1395

COMISSÃO DE DESPORTOS DO EXÉRCITO

“O DESPORTO MILITAR”

A Origem

Desde 1911, vários militares, oficiais e alunos da Escola Militar, faziam parte das equipes dos principais clubes de Futebol do Rio de Janeiro. Com a realização de jogos amistosos nos finais de semana, cresceu o interesse de todos e assim, em 22 de junho de 1915, foi criada a Liga Militar de Football (LMF), tendo como presidente o Coronel Chrispim Ferreira. A LMF é a primeira manifestação de uma organização esportiva militar, considerada a OM formadora da atual Comissão de Desportos do Exército (CDE). 

 

Em 1920 a entidade passou a denominar-se Liga de Sports do Exército (LSE). Sob a presidência do Coronel Estellita Werner, a diversificação de práticas além do futebol tornou-se presente por influência da Missão Militar Francesa que, além de uma nova doutrina militar, transmitiu para o EB, após a Primeira Guerra Mundial, o ideal da generalização da prática esportiva, preconizada pela Escola de Joinville-Le-Pont (Paris).

Apesar de pouca estrutura, o desporto passou a desenvolver-se institucionalmente no Exército, integrado às ações nacionais, em cujas representações, vários militares tomaram parte e alguns com surpreendente sucesso, como o Tenente Guilherme Paraense, ao conquistar a primeira medalha de ouro olímpica para o Brasil, nos Jogos da Antuérpia. 

 

O ano de 1922 destaca-se com a organização dos Jogos Latino-Americanos, comemorativos do Centenário da Independência, pela LSE e Confederação Brasileira de Desportos (CBD), com apoio do Comitê Olímpico Internacional (COI) e da Associação Cristã de Moços (ACM). Os jogos incluíram o Hipismo, o Atletismo, o Tiro, a Esgrima, o Futebol e o Pentatlo Moderno, este pela primeira vez disputado na América do Sul.

Abertura dos Jogos do Centenário da Independência, em 1922, no Estádio do FFC.

Em 1925 instituiu-se a primeira Competição Divisionária com provas de Atletismo, Jogos e Natação, realizadas na Vila Militar e na Praia da Urca. Em outubro daquele ano inaugurou-se o estádio da Companhia de Carros de Combate, construído pelo seu comandante, o Capitão Newton Cavalcanti, onde a LSE passou a ter sede provisória.

No ano de 1927, sob a presidência do General Alfredo Malan D’Angrogne, foram realizadas grandes competições militares no estádio da Companhia de Carros de Combate e no estádio da Fortaleza de São João, já quase concluído.

Em 1929 as atividades da LSE foram praticamente suspensas. Mesmo assim, realizou o quarto campeonato de Pentatlo Moderno. No ano seguinte, assumiu sua presidência o Coronel Bertoldo Klinger.

O Aviso Ministerial 620, de 2 de setembro de 1931, determinou que a EsEFEx assumisse as atividades da LSE, as quais foram retomadas, em 1936, por uma comissão designada pelo Estado-Maior do Exército, formada pelo Coronel Antonio da Silva Rocha, Major Francisco Pereira da Silva Fonseca e Capitão Ignácio de Freitas Rolim, para a sua direção e revisão dos estatutos.

Cerimônia de Abertura da Temporada Desportiva do Exército, em 1933.

Em 1947, sob a presidência do veterano esportista General Edgard do Amaral, foi designada uma nova comissão para reorganizar a LSE, que propôs a formação de um departamento diretamente subordinado ao Ministro da Guerra, idéia concebida em 1931. Assim, foi criado o Departamento de Desportos do Exército (DDE). Seus regulamentos, códigos, diretrizes e instruções foram aprovados pelo Ministro da Guerra e constituíram ordem de execução para todos os elementos do Exército. Criou-se o Código Desportivo do Exército, com o objetivo de uniformizar as práticas esportivas, bem como fixar as modalidades, períodos de realização e procedimentos técnicos, para levar o Desporto Militar ao mais alto grau de aperfeiçoamento. Houve, em síntese, uma associação da doutrina militar – normativa em sua essência – com o caráter comunitário, típico da organização esportiva.

Em 1948 o DDE participou ativamente nos cenários esportivos nacional e internacional, como a Eliminatória Pré-Olímpica de Pentatlo Moderno, a Temporada Hípica do Distrito Federal e a participação nos Jogos Olímpicos de Londres, com vários atletas do Exército.

O ano de 1949 representa o início de um grande ciclo desportivo, com a realização da 1ª Olimpíada do Exército (OLIMPIEX), que permaneceu até 1982 e revelou inúmeros talentos esportivos, em diversas modalidades.

1ª Olimpíada do Exército, realizada no Rio de Janeiro, em 1949.

 

A Lei 2.851, de 25 de agosto de 1956, estabeleceu nova organização básica do Exército e criou a Comissão de Desportos do Exército (CDE), subordinada diretamente à Secretaria do Ministério da Guerra. Consolidou-se, deste modo, um novo modelo de desenvolvimento esportivo promovido pelo EB, tendo à frente a CDE, que até hoje opera como órgão de assessoramento do Cmt do EB nos assuntos relacionados ao esporte.

A partir de 1985 sugiram os Jogos Marciais e foram realizados até 2009. Estes jogos focavam os esportes militares e, gradualmente, complementou-se pela inserção gradativa de modalidades olímpicas. Em 2013, com nova diretriz, a CDE passou a organizar os Jogos Desportivos do Exército (JDE), com a participação de todos os Comandos Militares de Área e frequência bianual.

 

O Desporto de Alto Rendimento

A Portaria nº 656 - Cmt Ex, de 10 de setembro de 2009 aprovou a Diretriz para os V Jogos Mundiais Militares de 2011 e a convocação de militares técnicos temporários para suprir a ausência de atletas de alto rendimento. Assim, nasceu o Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR), que representa um marco na participação internacional do Brasil no desporto militar, com a conquista do primeiro lugar no quadro geral de medalhas dos V JMM, entre 111 países.

O programa tem por objetivos representar o EB em competições nacionais e internacionais, motivar e transferir conhecimento, reforçar a imagem da Força no país e no exterior, e contribuir para o desenvolvimento do esporte nacional.

Atletas de Alto Rendimento durante o Estágio Básico de Sargento Temporário (EBST).

Atletas de Alto Rendimento do Exército campeões mundiais de Voleibol em 2014.

 ATIVIDADES ANUAIS DA COMISSÃO DE DESPORTOS DO EXÉRCITO

Projeto João do Pulo

Dono de duas medalhas olímpicas e recordista mundial do salto triplo por 10 anos, O 3º SGT JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA, hoje da nome ao  Projeto "João do Pulo". Uma iniciativa do Ministério da Defesa que tem por objetivo oferecer a prática esportiva a militares que sofreram algum comprometimento físico ou mental durante o trabalho, além de reintegrá-lo ao convívio da família, através de atividades que são desenvolvidas dentro do complexo do CCFEx.

 

Campeonantos e modalidades do CISM

O Conselho Internacional de Esportes Militares (CISM) é uma das maiores organizações multidisciplinares do mundo. O CISM organiza diversos eventos esportivos para as forças armadas de seus 136 países membros e é uma das organizações esportivas globais nas quais o maior número de disciplinas está representada. O CISM anualmente organiza mais de vinte Campeonatos Mundiais Militares para aproximadamente 30 competições esportivas, continentais e regionais diferentes, os Jogos Mundiais Militares e, mais recentemente, os Jogos de Inverno e os Jogos do Cadet Mundial. O CISM também investe muito significativamente no esporte para atividades de paz e a solidariedade é uma das nossas principais iniciativas.

 

Campeonatos do Exército

Os Campeonatos do Exército tem o objetivo de Aprimorar as qualidades físicas e morais, individuais e coletivas, dos integrantes da Força, Desenvolvendo o espírito de corpo das Organizações Militares, Grandes Unidades (GU), Grandes Comandos (G Cmdo) e Comandos Militares de Área (C Mil A), estreitando os laços de camaradagem entre os militares participantes das modalidades de Cross Country, futebol, natação, hipismo, e Pólo.

 

Jogos Desportivos do Exército

Os JDE têm como objetivo desenvolver o espírito competitivo do desporto militar, detectar talentos desportivos, fortalecer os laços de amizade e camaradagem que unem os militares e incentivar a preparação física. Essa edição dos JDE coincide com o centenário da Comissão de Desportos do Exército (CDE).  Desde de sua fundação, há 100 anos, a CDE cumpriu sua missão de fomentar o desporto no Exército e colaborou com o esporte nacional, tendo contribuído com inúmeros talentos desportivos.

 

ÍCONES DO DESPORTO NACIONAL

 

O Cap QAO Bandeira, ganhou renome internacional como desportista militar, com inúmeras conquistas no Pentatlo Militar . Conquistou 15 campeonatos brasileiros individuais e por equipe e foi 18 vezes campeão do Pentatlo Militar das Forças Armadas. O desportista, sagrou-se campeão individual por quatro vezes: 1985, 1987, 1988 e 1989. Destarte, Bandeira participou de cinco das sete edições de Mundiais do CISM, nas quais o Brasil sagrou-se campeão mundial.

 

Wenceslau Malta, Ingressou por concurso, em 1949, na Escola Preparatória de Cadetes de Fortaleza, no Ceará. Concluiu o curso na Escola Preparatória de Cadetes de Porto Alegre. Depois, ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras, sendo declarado aspirante a oficial da Arma de Artilharia em 1954.

Embora tenha servido em unidades militares no Rio Grande do Sul, vinculou-se ao Rio de Janeiro, onde suas qualidades de atleta o levaram a frequentar a Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx). Em seguida, passou a compor os quadros da Escola de Paraquedistas do Exército, onde concluiu cursos que o credenciaram a ser instrutor. Realizou cerca de 2 mil saltos. Destacou-se como atleta no pentatlo moderno, tendo participado de dois campeonatos sul-americanos, dois pan-americanos, sete mundiais e dois jogos olímpicos. Wenceslau Malta representou o Brasil nos Jogos Olímpicos de 1956 em Melbourne, onde alcançou a 31ª colocação, e nos Jogos Olímpicos de 1960 em Roma, onde ficou na 32ª posição no individual e 13a por equipes.  

Foi campeão individual nos Jogos Pan-Americanos de 1959, em Chicago,  e conquistou também a medalha de prata por equipe.

 

Os pentatletas José Wilson Pereira, Nilo Jaime (ao centro) e Justo Botelho Santiago

Nilo Jayme Ferreira da Silva (Rio de Janeiro, 24 de novembro de 1932) é um militar e pentatleta brasileiro .Militar por formação (coronel), começou a praticar esportes no colégio militar. Conheceu o pentatlo moderno as 21 anos.

Em 1956 foi campeão sul-americano em Montevidéu,[2] mesmo ano em que participou dos Jogos Olímpicos de 1956 em Melbourne, ficando sem posição no individual e por equipe.

Em 1957 foi medalhista de ouro por equipe do IX Campeonato Internacional Militar, em Bruxelas.

Nos Jogos Pan-Americanos de 1963, em São Paulo, conquistou a medalha de prata por equipe. Após essa competição, encerrou sua participação na seleção para se dedicar ao pentatlo militar. Parou de competir em 1964 e seguiu a carreira militar, aposentando-se em 1984. Atualmente, vive no Rio de Janeiro.

 

Guilherme Paraense foi o primeiro esportista brasileiro a conquistar uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos da Antuérpia, modalidade tiro. Foi militar integrante do Exército Brasileiro, com a patente de tenente e atleta do Fluminense Football Club. O Ten Paraense embarcou para Antuérpia, em 1920, com delegação de vinte companheiros de modalidades por conta própria, pois o COB não organizou a viagem oficial.

Paraense venceu a prova de pistola rápida, na prova de desempate individual e, conquistando a primeira medalha de ouro olímpica brasileira, em 3 de agosto de 1920. Sendo também medalhista de bronze por equipe na prova de pistola livre.

 

Claudio Coutinho ingressou na Escola Militar e seguiu carreira, chegando ao posto de capitão. Por outro lado, também demonstrava grande interesse para área esportiva, tanto que se graduou na Escola de Educação Física do Exército em 1981- Curso de Instrutor de Educação Física na EsEFEx.

Em 1968, foi escolhido para representar sua escola em um Congresso Mundial, realizado nos Estados Unidos da América. Lá conheceu o professor norte-americano Kenneth Cooper, idealizador do famoso método de avaliação física que leva o seu nome. Convidado pelo mesmo, freqüentou o Laboratório de Estresse Humano da NASA.

 

João Carlos de Oliveira, conhecido como João do Pulo, foi um atleta, especializado em saltos, sendo ex-recordista mundial do salto triplo, medalhista olímpico e tetra-campeão Panamericano no triplo e no salto em distância, militar e político brasileiro.

Militar por formação profissional, após abandonar o atletismo em virtude de um desastre automobilístico em que perdeu uma perna, tornou-se político, sendo eleito para dois mandatos como deputado estadual em seu estado natal, São Paulo. Realizou o Curso de Monitor de Educação Física – 1981 na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx).

 

Adhemar Ferreira da Silva foi um atleta brasileiro, primeiro bicampeão olímpico do país. Conquistou as medalhas de ouro no salto triplo nos Jogos de Helsinque 1952 e de Melbourne 1956. Em 2012, foi imortalizado no Hall da Fama do Atletismo. Ele é o único brasileiro a representar o país no salão da Federação Internacional de Atletismo (IAAF). Adhemar também é formado no Curso de Monitor da Escola Física na Escola do Exército (EsEFEx) em 1965, Direito na Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil (1968) e Relações Públicas na Faculdade de Comunicação Social Cásper Libero(1990). Foi adido cultural na embaixada brasileira em LagosNigéria, entre 1964 e 1967, Adhemar também foi pesquisador na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx) e trabalhava no jornal Última Hora. A lista de títulos enquanto era atleta do Vasco é extensa: cinco títulos estaduais; dois do Troféu Brasil, a medalha de ouro nas Olimpíadas Melbourne-1956 (sua 2ª seguida, tornando-se o primeiro e até hoje único atleta brasileiro bicampeão olímpico de fato) e a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos Chicago-1959 (sua 3ª consecutiva, tornando-se tricampeão pan-americano). O nobre cidadão e excelente atleta, encerrou sua carreira no Vasco, em 1960, logo após as Olimpíadas que aconteceram em Roma.

 

Maria Emma Hulga Lenk Zigler   foi a principal nadadora brasileira, tendo sido a única mulher do país a ser introduzida no Swimming Hall of Fame, em Fort LauderdaleFlórida. Também a primeira nadadora brasileira a estabelecer um recorde mundial e deu ao Flamengo diversos títulos importantes

Foi integrante da primeira turma de professores de Educação Fisica civil, inclusiva feminina formada no Brasil, quiçá da América do Sul. No inicio de 1933, graças à visão e descortino do emérito Professor Fernando Azevedo, na ocasião o Diretor de Ensino do Estado de são Paulo, foram comissionados quinze professores normalistas para fazerem o curso de nível superior ministrado pela Escola de Educação Fisica do Exército (EsEFEx), no Rio de Janeiro (Fortaleza de São João Urca), em 1936.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página